terça-feira, 23 de junho de 2009

O SILÊNCIO COMO REMÉDIO !


Dizem que quando um não quer dois não brigam.

Não é verdade!

Muitas vezes a gente não quer brigar, mas o outro não se conforma e vem nos bater na cara.

Nessa hora, quisera agir como Cristo, oferecer o rosto para o próximo tapa.

Mas sou demasiado humano, imperfeito... e meu ego sangra...

Descubro amargamente que é impossível dialogar com que não quer diálogo.

A cada bandeira branca, uma saraivada de balas.

A cada flor, uma espada afiada.

Dizem que o inferno está cheio de boas intenções, mas não vou deixar que as minhas queimem nos infernos alheios.

Talvez o silêncio seja o único remédio!

4 comentários:

anamineira disse...

Boa tarde!
Voce me fez refletir no meu jeito de hoje e de ontem.
Eu questionava mais, opinava muito mais, até discutia mais sobre algo que achava que não era legal, ou não estava do meu jeito.
Aprendi a ficar mais calada. De que adianta falar, dar minha opinião, se as pessoas não estão nem aí. Concordo que o tempo está escasso pra muita gente, falta de interesse, exclusivismo em alta, mas acho certo quem discute idéias.
Mesmo assim, o silêncio, tem hora que é o melhor remédio.

Marcos Martino disse...

Engraçado, Ana. Tiãozinho de Gelta falava uma coisa há algum tempo e vejo que ele tinha razão. Ele dizia: sinto que a cada dia que passar, serei mais calado. Pois é. A questão é que somos viciados em palavras. Não podemos viver sem elas. Mas as vezes faz-se necessário dar uma de morcego e medir o espaço pelo eco das falas alheias. Mas são silêncios táticos. Um tempo para recarregar as armas.

gomesalvinopolense disse...

Caro Marcos,
Infelizmente,permita-me discordar de você.Silencio foi feito para as pessoas comodistas,que levam vantagens,ou que acham que o poder nunca poderá ser derrubado.Buscamos na historia,fatos reais que mudaram a realidade,nunca imaginada antes-Na india, Na Africa,No Brasil,recentemente nos Estados Unidos.
São vitórias de quem nunca ficou calado-Gandhi,Mandela,Lula,Obama,são nomes que discordaram.
abraços.

Marcos Martino disse...

Gomes, são silêncios circunstanciais. Estou sendo vítima de insistente difamação. Impossível você debater com alguém que não se identifica. Nem adianta falar nada, pois tudo que disser será usado contra mim. Tudo que escrever será lido de acordo com a interpretação de meus inimigos ocultos, que até imagino quem sejam.