domingo, 2 de agosto de 2009

PETER PAN


Me recuso a ficar velho.
Quase não me olho no espelho.
Prefiro as fotos de anos atrás.
Gosto de rock e me atualizo.
Gosto da cultura jovem, da ousadia, da liberdade.
Tenho orkut, myspace, twitter, gmail, sou virtual também.
Vivo mais on-line que live.
Ainda sonho com um mundo melhor.
Olho pra frente e vejo um belo filme
Sou eu quem escrevo meu próprio roteiro.
Tenho tesão e não resignação.
Mais ficção do que realidade.
Mas eis que a moça, a linda balconista
com seu sorriso branco de isopor
Me diz: pois não, ao seu dispor, senhor...
senhor...senhor...senhor...senhor...
Naquele instante feito Dorian Gray
Senti meu rosto se desfigurando.
Cabelos, barba, pelos branquefeitos.
Dentes e ossos, pele carcomidos.
Senti-me um nada, ente invisivel
Ainda bem que só por um segundo.
Sinal sonoro do meu celular
chegou recado da terra do sempre.
me convocando pra nova missão.
Feito uma corda que pende do abismo.
Eis que o chamado resgata do limbo
O Peter pan, em mim ressuscitado.



4 comentários:

Sheila Vieira disse...

esse texto dá uma música, heim?

anamineira disse...

Lindo! Lindo!
Abração

Danilo de Abreu Lima disse...

marcos,

mais do que a terra do nunca, devemos nos deixar chamar pela heartsland- é láque nossos sonhos estão bem guardados- e sonhos não envelhecem- não importa a cara, as rugas, os brincos e os piercings tatuagens e viagens mil - importa é escancarar a porta e as janelas do coração - e se entrgar sempre à vida- com garra.
Belo poema!!...

Danilo de Abreu Lima disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.