domingo, 24 de janeiro de 2010

A VIDRAÇA

O ser humano é um animal político.
Mas não sei se o político é um animal humano.
Fico olhando do lado de lá da vidraça.
Vejo que tem boas pessoas também.
Pessoas de fino trato, sensíveis, humanas.
Porém, as pessoas do outro lado da vidraça,
me vêem como rato, formiga, inseto,
bom de se esmagar, de se pisar, de se apagar.
Há os políticos da dialética, que aleijam com palavras.
Há os políticos da coação, que se usam da chantagem.
Há os políticos da calada, que matam e torturam
se necessário.
Há os políticos aparentemente éticos, benfazejos, transparentes,
mas mesmos estes, exercitam a prática de odiar
quem está do outro lado da vidraça.
Os políticos precisam de alguém pra odiar.
As pessoas precisam de alguém pra odiar.
Que Deus nos proteja.


4 comentários:

PEDRO disse...

Marcos, mais uma vez, não posso e não consigo concordar com vc. Essa coisa d simplesmente demonizar a política, me parece falta d argumentação, é simples, não precisa fazer esforço algum, é só criticar. Mas, vc mesmo, hoje vive no meio político, toma decisões políticas e sabe, política é ciencia, engenharia, não se muda uma estrutura por nossa vontade própria, é uma rede d tantos adjetivos, tantas minúcias, etc. Mas, mesmo vc estando no meio político, continuo lhe admirando, pois, d outra forma, a concordar com o seu texto, teria q demoniza-lo tb. Eu, pessoalmente, tenho uma birra com a grande imprensa brasileira, não pelo fato dela em muitas oportunidades se mostrar parcial, mas principalmente por ver na cara da maioria dos reporteres, a satisfação com q eles divulgam uma notícia negativa, sabendo eles, q do outro lado, existe uma multidão q simplesmente dizem assim: é verdade sim, saiu no jornal, no radio, na televisão e muitas vezes, exemplos é q não faltam, uma mentira vira verdade. pense nisso.

Marcos Martino disse...

Pedro, na verdade romantizei, vomitei sentimentos momentâneos. As vezes parece algo meio psicografado, desabafo de espírito. O que não quero é me aviltar. Não dá pra ficar racionalizando em cima de sentimentos brutos. Quando você vê, já saiu. Você pode até me "demonizar" por me expor. O que doi na política é que muitas vezes você acaba sob a mira de pessoas legais, que tem de te odiar, por fazer parte de outro grupo. Sempre existem questões em que podemos convergir, mas não na política, pelo menos a política na acepção da palavra, como a entendemos. A partir do enfoque oposicionista, sempre existe algo a se criticar. Ai vou até concordar com o termo demonização. Pro capeta, o céu é frio demais e o tom branco incomoda.

Anônimo disse...

bom comeco

BLOG DO PROFEX disse...

Acredito que a política possa ser convergente sim. Depende de quem a faz e por que faz. Definitivamente eu não creio que os meios sempre justifiquem os fins. Há de se ter uma certa condescendência, reconhecimento, respeito e oposição também, é claro!
Grande abraço!