sexta-feira, 11 de agosto de 2017

FESTIVAL 2017 - APONTAMENTOS...

Tudo começou em 1978 quando Chico Franco levou a ideia para o então prefeito Dico Lavanca, que gostou e chamou a turma de formandos do colégio pra organizar. Desde então, são 39 anos fazendo festivais de música. Apenas em 3 anos, não houve dinheiro nem as condições ideais pra fazer. Por isso tá chegando a edição 36.

ANO PASSADO SÓ TEVE A EDIÇÃO LOCAL

Em 2016, embora a edição local tenha sido brilhante, houve uma série de problemas e a edição nacional não aconteceu. Se o pessoal quisesse, poderia ter reconhecido a edição local do ano passado como 36ª, considerando esse ano como a 37ª edição. 

CANCELAMENTO TRAUMÁTICO

fracasso do ano passado me custou caro. Não em termos financeiros, mas morais e psicológicos. Passei o ano de 2016 tentando encontrar alternativas para viabilizar, já que a prefeitura deixou claro que não iria apoiar financeiramente. Tentamos de tudo que podíamos, mas deu errado e como botei a cara, virei alvo da fúria geral. Como se não bastasse a tristeza pelo fracasso, ainda houve especulação de que eu estaria agindo desonestamente em cima de uma verba que nem chegou a sair. 

PRA ENCERRAR O ASSUNTO

Fiquei chateado pelo esforço não reconhecido e pelo tanto que já trabalhamos pelo festival.Quem é honesto fica indignado quando acusado injustamente. Mas por outro lado, não posso recriminar o pessoal por desconfiar e especular. Há muita sacanagem e corrupção em tudo nesse país. Mas não era o caso. A situação me deixou amargurado e travado. Mas quando a turma me procurou propondo uma entrevista passou um filme em minha cabeça e superei a amargura. Nada como conversas esclarecedoras pra dissipar dúvidas e restabelecer a verdade. Ah...e a consciência tranquila.

PT NA CULTURA

É admirável o trabalho do PT e do Jucirley no que diz respeito à cultura. Ele vem coordenando e reestruturando a banda de música, faz um trabalho bacana junto a Escola de Samba Unidos do Morro e com o Congado de NS do Rosário também. Mantém a Selaria Raimundo Nazário, que além dos oficios de Selaria, tornou-se um verdadeiro museu sentimental da cidade e agora, através do Instituto Martelo, abraça institucionalmente o Festival da Música, em parceria com a prefeitura e com a CODEMIG. Depois o pessoal fica indignado por que a maioria dos artistas apoia a esquerda. Tá aí a explicação: é por que a esquerda se importa com a cultura. 

EQUIPE DO FESTIVAL 2017

O Festival desde ano vem sendo conduzido por uma equipe  formada por Jéssica Mara, Thaysson Azevedo, Alessandro Magno, Thales Carvalho, Paulo César Rodrigues, Jovelino Carvalho e o próprio Jucirley. Reuniões começaram a ser feitas logo depois do cancelamento do ano passado e a equipe foi costurando as coisas  até chegar a atual configuração. É uma equipe supra partidária...ou melhor, o partido é o festival de música. 

MUITAS INOVAÇÕES

O Festival desse ano conseguiu ampliar a premiação e é claro que valoriza. O fato de oferecer auxílio para alimentação e descontos para hospedagem, também ajuda. São benefícios para os artistas que fazem a festa e merecem ser bem recebidos. 

FESTIVAL NA PRAÇA DA MATRIZ

Vai ficar interessante. Primeiro por que o local é muito charmoso, um dos principais cenários históricos da cidade. A Bioextratus já fez um evento lá que deu muito certo. O próprio prefeito já me confidenciou que sonhava com o Festival naquele local.Em princípio haverão dificuldades com adequação do espaço, mas se a prefeitura está como parceira, tem todas as condições de solucionar os problemas estruturais. Vai haver alguma choradeira com relação ao barulho, som alto, etc. Mas são 3 dias apenas. O Padre podia até abençoar o festival, para que aconteça por mais 300 anos...

Nenhum comentário: