quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

NATAL SEM FOME, A RESISTENCIA DA SOLIDARIEDADE



É notavel a organização da turma da Banda Kalamidade Pública e o seu Natal sem fome. Sugiro a todos que entrem no site: www.kalamidadepublica.com.br/natalsemfome/relatorio.html
pra sentir o nível de organização dessa turma que nos enche de orgulho. É tocante e relevante o trabalho deles, nos impressiona os números das 8 edições e a maneira que eles usaram para demonstrar a abrangencia e atuação em todo o municipio. 
Eu não me lembro de ter visto um mapa de Alvinópolis tão detalhado. 
O NATAL SEM FOME, nos remete a algumas reflexões. Será mesmo que o Alvinopolense não é solidário com os carentes da cidade? Qual é a estatística da miséria em nossa cidade? Quais as instituições temos que trabalham de forma abnegada para minimizar os problemas sociais da cidade? Como é o mapa das carências sociais do nosso municipio? Onde se concentram nossos maiores bolsões de pobreza: na cidade ou no campo? Como é feita a distrubuição dos donativos na maioria das campanhas? Os donativos chegam mesmo aos seus destinos? O que o cidadão pode fazer para ajudar? São algumas perguntas que me vieram à cabeça. Numa cidade grande, as pessoas que tem um razoável padrão de vida, vivem isoladas, trancafiadas com medo de tudo e de todos. Em Alvinópolis isso não acontece. O filho do rico ( para os padrões locais) e o filho do pobre estudam nas mesmas escolas, sentam lado a lado nos mesmos bares e jogam bola nos mesmos campos. A diferença é que na mesa de uns tem mesa farta e na de  outros, pode não ter. Eventos como o Natal sem fome, ajudam a diminuir esse fosso. Houve muita polêmica nos ultimos dias em torno do evento, polêmica essa alimentada pela revolta dos promotores, um tanto decepcionados pela diminuição da ajuda neste ano, explicada por eles mesmos pelo medo da crise, medo que assombra a todos os empresários e também funcionários(Quando uma empresa como a Vale do Rio Doce manda tanta gente embora, cai por terra a segurança da estabilidade). De repente, chegou-se à conclusão de que Alvinópolis não é solidária. Segundo alguns muralistas, os empresários não apoiam iniciativa nenhuma e não merecem o reino do céu. Houve também quem afirmasse que o poder público nunca apoiou, no que os promotores afirmaram que também nunca quiseram envolvimento político para o evento, mas que em contra-partida, com toda importancia social da promoção, nunca houve nenhum contato do poder oferecendo ajuda. Não se pode também desprezar outras iniciativas, muitas vezes não divulgadas de pessoas físicas e empresas. Imagino que a Bio Extratus deve ter algum programa de ação social, voltado para o mais carentes. A Cia Fabril Mascarenhas também, assim como a secretaria de assistencia social da prefeitura e a câmara dos vereadores. Se não tiverem nenhuma ação nesse sentido, já está na hora de seguirem o exemplo da banda Kalamidade Pública, que - vejam só - fazem caridade, através da música, cultura . Parabéns é pouco pra eles. 

2 comentários:

Afonso de Paula dos Santos disse...

Olá Marcos,
Está de parabéns o seu artigo! Levantou questões interessantes... Mas eu não poderia deixar de falar da IMENSA AJUDA da FABRIL MASCARENHAS e da LIMPIBRILHA (do JOSÉ JÚLIO) ao Natal Sem Fome. Pra vocês terem uma idéia o Natal Sem Fome está arrecadando cerca de 5 toneladas em cada edição. Se fossemos separar a doação da população de Alvinópolis arrecadaríamos cerca de 1,5 ou 2 toneladas de alimentos. Com o apoio da FABRIL, que leva a campanha até seus fornecedores, arrecada-se cerca de 3 a 3,5 toneladas de alimentos. Não estou querendo falar que a população de Alvi não é solidária, pelo contrário acho bastante solidária e é lógico que no inicio o pessoal fica desconfiado, o que é normal! Só queria deixar claro a imensa ajuda da Fabril Mascarenhas! Outro projeto importante é a Flauta Mágica desenvolvida pela BioExtratus, que poderia ser mais divulgada...
Quanto ao Mapa de Alvinópolis, pra eu que fiz, junto com meu irmão Marcelo, tá meio simples. Pra nós que somos Engenheiros Agrimensores isto não é nada, e ainda sim está faltando marcar algumas comunidades que já foram atendidos pela campanha, já que quando foi feito o mapa, nós não tínhamos consultado a irmã Helena, apenas nossos dados até 2006. Mas seria interessante fazer um mapeamento de carências sociais, com consulta em campo e o apoio de quem conhece a realidade da situação.
Por fim, gostaria de agradecer à todos os organizadores do Natal Sem Fome, que a cada ano junta-se mais pessoas. Além de todos os patrocinadores, apoios e a todas as bandas de Alvi, como o Porão 71, Vovó Piluca, Tiago & Admilson e vários outros que todo ano está junto pra fazer a festa da galera e consequentemente arrecadar mais alimentos.

Afonso-kp

Marcos Martino disse...

Importante citar também as iniciativas da ONG ALVINÓPOLIS VIVA, que levou a Alvinópolis duas peças teatrais de muito sucesso.
Uma delas, com o famoso comediante mineiro CARLOS NUNES, arrecadando também grande quantidade de dinheiro, que foi distribuído entre diversas instituições alvinopolenses.